Meus Textos: O Tempo Passou...


E eu aprendi as várias formas que o amor romântico pode existir.
Não vou falar do amar pela família, e o amor amigo, esse fica para outro momento.
Essa semana eu estou sentindo uma saudade sem tamanho de um amor que tive, e que tenho, que sinto, e os caminhos da vida não me permitiu expressar o suficiente, mas hoje eu sei que vivemos o que tivemos de viver, mas enquanto eu existi meu amor por ele também vai existi. Mas Haila você é casada?!?!?! Sim, e amo o meu esposo, e é nesse ponto que eu queria chegar, quem foi que criou essa regra que só amamos uma pessoa na vida? Nem apareça na minha frente que eu mato, apesar de que acho que essa pessoa já está morta há muito tempo, por que uma das coisas que aprendi desde que entendo por gente é isso, que se ama só uma vez na vida, e não é bem assim, comigo não é assim.
Eu o amei tanto, e vivi poucos momentos com ele, mas que se eternizaram na minha mente de tal maneira que só de fechar meus olhos me lembro com tanta nitidez que às vezes nos meus momentos de insanidade fico pensando que voltei no tempo… Ahhh o tempo, como eu queria ter um vira-tempo da Hermione para poder voltar e ver (viver de novo não, por que foi perfeito do jeito que aconteceu, e se fosse viver de novo eu não resistiria e acabaria alterando a história) aquilo tudo de novo. E ver seu rosto mais uma vez, coisa que há quase três anos eu perdi a oportunidade de ver. Foi um amor que não teve ponto final, uma história mal acabada, mas acredito em outra vida após essa viverei tudo até o ponto final.
E foi esse meu amor mal acabado que me fez rever outro amor que estava aqui quietinho e que eu nem sabia que existia, quer dizer, não admitia que existisse e no momento que eu admitir para mim mesma, eu disse “Esse eu colocarei um ponto final, feliz ou não, mas vai ter um ponto final!” E graças a Deus esse ponto final não chegou e estamos apenas no meio da nossa história, e tenho muito a viver com meu esposo, não é fácil, mas por esse motivo é bom, eu odeio coisas fáceis!
E pensando nisso tudo, eu vejo que amei muito, teve aquele primeiro amor, ainda no pré (risos), e os que vieram depois, e teve o primeiro “amor de verdade” da adolescência, e tiveram as paixonites, eu não descobriria os “amores de verdade” sem elas, resumindo amei muito! E os que não eram fortes o suficiente passaram, apesar de não esquecer de nenhum e lembrar com saudade, aquela saudade do que foi bom, mas que não quero viver de novo. E os que são fortes estão aqui. Um que vai ficar aqui até o meu último dia, e que como não posso expressar só vai aumentando, mas que eu sei que o melhor deixar ele aqui para sempre e nem se eu quisesse eu conseguira tirar, quase sete anos comigo e não quero viver sem esse sentimento tão bom. E o outro que eu posso expressar todos os dias, na hora que ele sai pra trabalhar mesmo sonolenta eu falo o “Eu te amo”, e amo mesmo, e dói pensar que um dia posso perder, e desde que eu voltei para os braços que me acalentam e que me protegem, eu prometi que demonstraria todo o meu amor por ele, se ele der valor não terei corpo o suficiente para segurar toda a felicidade que possa sentir, e se ele não der… Bem… Melhor eu dizer que fiz tudo o que meu coração pediu e que vivi tudo o que sentir vontade, se eu o amo, porque não demonstrar? É para isso que se ama, para viver e vise versa.
Estão vendo? Eu amei vários, e cada um a sua maneira, e a cada um com sua intensidade.
Eu acho que esse texto é mais para falar do amor que eu sinto, e da saudade que estou sentindo. E essa música abaixo não sai da minha cabeça, traz um sentimento tão bom… tanta saudade, se eu não escrevesse esse texto eu explodiria.


(Texto escrito em Maio de 2012)
Beijos!!!

3 comentários

  1. Gosto muito da sua sinceridade e do jeito q se expressa, quantas pessoas vivem assim e nao assume? Isso é lindo... Parabens amei o texto...

    ResponderExcluir
  2. Ah, o amor...!
    Amei o seu texto, bem profundo! Gosto do jeito que você escreve!
    Beijos,
    Deixe o tempo levar

    ResponderExcluir