Livro que li: O Teorema Katherine, John Green


Esse livros tem várias notas de rodapé.


Vários gráficos e fórmulas.

Sinopse: Colin conhece Katherine. Katherine gosta de Colin. Colin e Katherine namoram. Katherine termina com Colin. É sempre assim.
Após seu termino mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo na carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagrams e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamenta da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, com pura matemática, o desfecho de qualquer relacionamento.
Uma descoberta que vai entar para a história, elevando Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. E também, é claro, vai ajuda-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.
Nº de Páginas: 302
Editora: Intríseca
***
Colin é um garoto prodígio e que namora apenas garotas cujo os nomes são Katherine. Após a K-19 como ele a chama, terminar com ele, o amigo dele Hassan ver a fossa que ele se encontra e o chama para viajar de carro. Com destino incerto, mas quando Colin ver uma placa falando sobre a cidade de Gutshot onde um Arquiduque fora enterrado, e ele quer visitar o túmulo. E é nesse pequena cidade que ele conhece Lindsey Lee Wells, e a viagem deles muda de roteiro.
Criei bastante expectativa por esse livro, e isso nunca dá certo, eu já li dois livros de John Green A Culpa é das Estrelas e Quem é você, Alasca?, e também o conto dele no livro Deixe a neve cair (que na verdade não gostei muito do conto dele), eu gostei muito dessas leituras e por isso criei uma expectativa grande pela história desse livro. E não correspondeu as minhas expectativas.
Veja bem, a escrita de John Green é maravilhosa, ele é muito inteligente e dá para ver isso muito bem nesse livro (e nos outros também), mas foi a história em si que não mim conquistou. Primeiro porque esperava uma road trip maravilhosa, mas a viajem acaba logo na primeira parada, eles se instalam na cidade. E não sou nenhum pouco apaixonada por matemática e não vi graça alguma no momento eureca do Colin.
Um ponto positivo é que o John Green, sabe colocar uma cena de comédia na hora certa, e que me proporcionou boas risadas.

Nenhum comentário

Postar um comentário