Filme que vi: Lisbela e o Prisioneiro


Sinopse: Lisbela e o Prisioneiro é uma comédia romântica baseado na obra de Osman Lins e conta a história divertida do malandro, aventureiro e conquistador Leléu (Selton Mello), e da mocinha sonhadora Lisbela (Débora Falabella), que adora ver filmes americanos e sonha com os heróis do cinema.
Lisbela está noiva e de casamento marcado, quando Leléu chega á cidade. O casal se encanta e passa a viver uma história cheia de personagens tirados do cenário nordestino. Eles vão sofrer pressões da família, do meio social e também com as suas próprias dúvidas e hesitações. Mas, em uma reviravolta final, cheia de bravura e humor, eles seguem seus destinos. Como a própria Lisbela diz, a graça não é saber o que acontece. É saber como acontece e quando acontece.
Direção: Guel Arraes
Gênero: Comédia Romântica 
Origem: Brasil
Duração: 107 min
***
Sabe aqueles filmes favoritos, que a gente não cansa de assisti e ainda decora as falas? Pois é, Lisbela e o Prisioneiro é um desses filmes para mim. Para começar Lisbela também é apaixonada por filmes, ir ao cinema é uma coisa muito especial para ela. A comédia é na medida certa, nada de besteirol, o filme nos faz rir e nos deixa alegre, e isso os filmes brasileiros fazem bem. Os atores nacionais também capricham, sou apaixonada pelos filmes da Débora Falabella ela sabe incorporar a personagem com muita perfeição e com uma delicadeza incrível. Selton Mello também tem o dom de fazer personagens engraçados.

Lisbela: Eu adoro essa parte... A luz vai se apagando devagarzinho... O mundo lá fora vai se apagando devagarzinho, os olhos da gente vão se abrindo. Daqui a pouco a gente não vai nem se lembrar que tá aqui.

Tudo nesse filme me conquista, do roteiro, trilha sonora e o capricho do figurino. Cada vez fico mais encantada com o cinema brasileiro, e vejam bem esse filme é de 2003, mas de dez anos e ainda me encanta demais. Já decorei as falas e não me canso de assistir, e de apresentar esse filme para quem ainda não assistiu.

Lisbela: A Graça não é saber o que acontece. É saber como acontece e quando acontece.


Livro que li: Os Instrumentos Mortais #3 - Cidade de Vidro


Sinopse: Clary está à procura de uma poção para salvar a vida de sua mãe. Para isso, ela deve viajar até a Cidade de Vidro, lar ancestral dos Caçadores de Sombras, criando um portal sozinha. Só mais uma prova de que seus poderes estão mais sofisticados a cada dia. Para Clary, o perigo que isso representa é tão ou menos assustador quanto o fato de que Jace não a quer por perto. Mas nem o fora de Jace nem estar quebrando as regras irão afastá-la de seu objetivo: encontrar Ragnor Fell, o feiticeiro que pode ajudá-la a curar a mãe.
Autor: Cassandra Clare
Nº de Páginas: 476
Editora: Galera Record
***
Clary está cada vez mais perto de salvar a vida de sua mãe, mas (sempre tem um mas) alguém vai impedir que isso seja fácil, ela consegue ir para Idris, país dos caçadores de sombras. É lá onde Valentin está preparando uma guerra contra os caçadores de sombras. Onde Jace já se encontra, onde Clary vai encontrar a cura da mãe, e mais vários segredos.

Demorei muito pra ler esse livro, primeiro por que estou trabalhando e não tenho o mesmo tempo que antes, e segundo por que a leitura não progredia com rapidez até o capítulo 16, pensei em deixar ele de lado, mas resisti e continuei tentando. E fui recompensada, enquanto os primeiros capítulos são totalmente entediantes, no capítulo 16 tudo começa a acontecer, os segredos começam a ser revelados, um eu já tinha sacado há muito tempo, mas foi ótimo descobrir todo o mistério, ou talvez nem todos os mistérios foram revelados, no final deixa um toque de que tem mais coisa nisso tudo.
Outra coisa que gosto nessa série é a narração em terceira pessoa que explora vários personagens, não só os principais, e saber o que está acontecendo com todos não só a Clary e o Jace é um ponto super positivo. 
Outro ponto positivo, são alguns dos novos personagens que apareceram nesse livro, a Amantis é a minha preferida, e dos velhos Simon começou a desempenhar o seu papel de vampiro e de que é importante nessa série. 
E o final foi cheio de “Oh” “Awn” muito lindo e fofo, e desde o primeiro livro eu esperava por isso.

P.s. O Alec tomou uma atitude! Até que fim!!! (e isso me deixou feliz gosto muito desse personagem)



Voltei!!!

Vídeo rápido só pra falar um pouco desses meses de sumiço!


Once Upon A Time 1ª Temporada


Sinopse: Esta série foca-se em uma mulher com um passado bastante complicado, que acaba vivendo em uma cidade de Maine onde a magia e o mistério dos contos de fadas fazem parte da realidade.
No dia do casamento de Branca de Neve e o Príncipe James, a Rainha Malvada chega à cerimônia ameaçando e lançando uma terrível maldição sobre todas as pessoas presentes. Um tempo depois, Branca de Neve, já grávida, visita Rumpelstiltskin, um feiticeiro que prediz que a maldição da malvada rainha levará todas as pessoas para um lugar terrível, no qual não há finais felizes…Emma Swan terá a maior surpresa da sua vida, justo quando Henry, o filho que deu para adoção 10 anos atrás, chegar à porta da sua casa. Devolver o menino à sua mãe adotiva se tornará uma tarefa complicada, quando Henry revela uma extraordinária teoria a Emma. Todos os habitantes de Storybrooke, Maine, são algum personagem de um conto de fadas que está sob um feitiço, e Emma, a filha da Branca de Neve e do Príncipe James é a única que pode salvá-los.
Nº de Episódios: 22
O primeiro foi ao ar em: 23/10/2011
Transmitida por: ABC (E no Brasil pela Sony)

***

Já aconteceu com vocês, não saber se você ama ou não suporta uma série? Então?  Aconteceu comigo nessa série. Vamos ao por que do amor e ódio. Primeiro, será um pouco difícil fazer uma resenha sobre essa série, por causa do número de acontecimentos e de personagens.

No casamento da Branca de Neve com o Príncipe Encantado, a Rainha Má promete jogar uma maldição que irá afetar a todos. Quando a Branca de Neve já grávida, descobre que a Rainha Má irá mandar todos do conto de fadas para um lugar que não existe finais felizes, Branca e o Príncipe encontram uma maneira de proteger a filha deles, Emma, e no aniversário dela de 28 anos, um garotinho aparece na casa dela falando que é o filho dela (e é filho mesmo) e Emma resolve levá-lo de volta para casa e quando chega em Storybrooke, onde todos os personagens dos contos de fadas vivem sem saber quem são. E com a chegada de Emma tudo começa a mudar, ela é a única que pode quebrar a maldição.

Os episódios são uma mistura de passado e presente, sempre mostra um pouco do que aconteceu 28 anos antes, e do que está se passando em Storybrooke. E cada episódio é focado em algum personagem, na Cinderela, no Grilo Falante... Sempre mostrando um pouquinho da vida deles nos contos de fadas e no mundo real, e gostei muito disso, por que percebemos que mesmo eles não sabendo quem são de verdade algumas características não se perderam. Mas ás vezes, talvez pelo grande número de personagens, mostrar o passado e presente se tornava um pouco confuso, tem que prestar atenção no que está passado para não perder nada e ficar sem entender.

O que mais gostei nessa série sem dúvida foi a vilã, Regina no mundo real e a Rainha Má nos contos de fada, primeiro que a atriz é maravilhosa, e os produtores capricharam no figurino, na maquiagem, no corte de cabelo, em tudo, sem dúvida é minha personagem preferida.

Episódios favoritos: 14, Dreamy - 18, The stable boy





Minha chance


Eu não pedi a Deus, e nem estava esperando que você aparecesse. Eu sabia que um dia apareceria alguém, alguém assim muito parecido com você. Nossa história começou assim, sem esperar nada. E assim, tudo aconteceu.
Você curou o meu coração tão calejado, você acordou em mim sentimentos que eu pensava que não sentiria mais. Eu sei  que depois de tantos machucados era de se esperar que eu não desse essa chance, mas sinceramente eu estava cansada de não amar, de não me entregar, fiz bem em não entregar meu coração para aqueles amores passageiros, não sei se você sabe, mas existe a diferença entre amores e amor, explico em outro texto. Eles foram amores, você é amor.
Essa chance que eu dei não foi para você, mas para mim, para o meu coração, para a minha vida. Não tenho como saber se é dessa vez que vai dá certo, mas eu tenho coragem o suficiente para tentar, e se eu não tentar nunca saberei.
Somos diferentes dos outros, por isso eu mereço você e você merece me ter ao seu lado. Torço muito para você permanecer em minha vida, no meu presente e por que não no meu futuro, apesar dos machucados aprendi a acreditar e planejar novamente.

Não sei quanto tempo vai durar, mas eu sei que vou viver a melhor parte da minha vida.